sábado, 8 de setembro de 2007

Ser poeta
É ser normal
É ser igual
É ser coerente
Consigo e com toda a gente,
Escrever o que pensa quanto sente,
É só nisto que é diferente
De outro comum mortal.
Ser-se poeta afinal
É uma vontade, um querer
É dedicar momentos de lazer
A esculpir em palavras o seu interior
Num dia de sol e de calor
Como se estivesse a chover.


Joaquim Marques