sábado, 21 de julho de 2007

Salvé 21 de Julho de 2007

O tempo passa...
Um dia destes fui pai
De uma menina muito pequenina
E só nessa altura reparei
No tamanho da palma da minha mão
Enorme, trémula,
Parecia que por ali me saltava o coração.
Depois foi regredindo
Pouco a pouco
Com o passar dos dias
Dos anos, das incertezas, das alegrias
Encolheu como a fibra de algodão
E hoje já não treme a minha mão
Está mais forte, mais rija e consistente
Porque já não és uma menina pequenina
Tornaste-te uma mulher surpreendente
Perspicaz, inteligente
Dona de ti, do teu futuro.
Foram precisos dezoito anos volver
Para a minha mão deixar de tremer.

Joaquim Marques

4 comentários:

Anónimo disse...

És um Pai ''babado'' com um coração enorme... a transbordar de Amor...
Parabéns por teres ajudado a menina muito pequenina a tornar-se nessa mulher surpreendente, perspicaz, inteligente, dona de si e do seu futuro...
A Ela desejo um Feliz Aniversário... e que continue a saber receber todo o Amor que o melhor Pai do mundo tem para lhe oferecer!...

Isa

P.S. Que a tua mão continue forte, rija e consistente!...

Anónimo disse...

Pai,
parabéns!
:)

JRL disse...

Olá Joaquim,
Que belo poema de rica textura, com 18 anos de tempo de viagem interior. Beijinho

AUDREY disse...

Ter pai não é prá todo mundo...
Ser pai é mais difícil ainda...
Só quem é ,deve saber o prazer de como deve ser ...
Parabéns..meu gato

Te adoro..beijos