terça-feira, 24 de julho de 2007

Dizem os meus amigos
Que eu sou um bom cozinheiro
Mas não sou
Sou antes um trampolineiro
Um guloso inveterado
Só me dedico à culinária
Quando a minha fome é também gregária
Nessa altura gosto de reinventar o sabor já experimentado
Dando-lhe algo de me mim, da minha arte
Algo que sempre confecciono à parte
Da minha obrigação habitual
Para depois lhes oferecer em salvas de prata
Um cozinhado especial
Como se fosse um poema da minha nata.

Joaquim Marques

2 comentários:

CMondim disse...

Humm, não sei se é pela hora em q leio este poema, mas acho q me abriu o apetite :)

audrey disse...

O que mais me admira em você ...é essa disponibilidade em cozinhar tanta coisa diferente....
Ainda bem que ninguém é igual...
Feliz de quem for seu hóspede poderá saborear o que de mais diferente possa ter no cardápio..
Já comigo...pode crer srsrsrrs
Microondas é o máximo..rs

Te adoro gato..
Beijos