sexta-feira, 29 de junho de 2007

Eu ser ou não ser
Verdade ou mentira
Ser a mentira mais verdadeira do universo
Ou o inverso
É o que hoje quero escrever em cada verso.
É assim que me sinto neste universo
De mentes ilustres
De inúmeros umbigos inchados
Que julgam que a sua verdade
Se impõe à minha vontade
De fazer, de escrever, ou calar
Tudo e quanto me apetece.
Estou farto de me repetir:
Que na minha vida
No meu querer
Nada, mesmo nada, é mais forte que a minha vontade
Apesar de nem sempre ser verdade!
E agora!... quando é que é verdade
Ou mentira a minha vontade?
Não sabes responder, não é?...Nem eu!

Joaquim Marques

6 comentários:

Anónimo disse...

Joaquim,
quer que lhe responda?
Interessa? A mim, não. A si, definitivamente não.

CMondim disse...

a poesia é liberdade, n tem as algemas da mentira ou da verdade. disse.

Joaquim Marques disse...

Agradeço o teu telefonema amiga Isa, mas como te disse (e agora torno público), eu não publiquei este "escrito" em resposta ao teu comentário.Tinha mais o que fazer!... Como diz a cmondim, "poesia é liberdade, n tem as algemas da mentira ou da verdade" (até a mentira não tem as algemas da verdade e vice-versa). Os comentários honram-me, e às vezes também me divertem, mas não me condicionam.

Anónimo disse...

Cafageste?
Teu charme é luz
que seduz.
Tua beleza desfila o luar
de cintilantes majestades.
Tua inteligência vibra e voa,
pairando em desfiles
de pura poesia.
Por onde passas, por onde vives
o horizonte deixará saudades
e lembranças definitivas.
Cafageste?
Não? Sim?
Quero conhecer o sabor que lhe adivinho.

Audrey disse...

Poder querer...
Poder fazer...
Poder decidir...
Poder ir...e ficar...
Poder ser...
Poder falar...retrucar...defender...exigir...cumprir..descumprir...
Verbos e verbos de uma vida que nem sempre é o que parece....
Não dependemos apenas de nós...
Nâo somos ilhas...e infelizmente...até por quem não merece deixamos de ser nós...para agradar ou para não ferir...
Quando acordamos de nossa escravidão de outros...não conseguimos nos achar...
Perdemos nossa vontade....perdemos nosso ego...nosso amor próprio....
Ficamos que ...andarilhos...vagando e buscando outro senhor para sermos escravos...
Felizes daqueles que se libertam e sabem o que fazer de sua liberdade...
Somos fruto daquilo que plantamos...

Beijos meu gatinho....

Anónimo disse...

Acabaras de sair e já tinha saudades de ti. Aspirei lentamente o teu perfume que ainda se passeava pela minha casa, e notei a ausência que já se arrastava nos vazios que deixaras.
Percorri o silêncio que inundava as paredes.
E num esforço derradeiro, soerguendo-me, deixei que a tua música,deixei que a tua forte VONTADE, deixei que o teu QUERER tocasse repetidamente e me embalasse até adormecer.
:)