sexta-feira, 18 de maio de 2007

São quentes estes dias de Verão:
Dias de sol – todo-poderoso,
Abatendo-se sobre as cabeças
Dos Homens com pensamentos estéreis
- Porque são quentes e estéreis
As areias do campo seco.

Seco e quente o falar dos Homens
Deste mundo inteligente
Cada dia menos inteligível
Como o pensamento estéril e quente.

Brotam as fontes, secas de sabor,
Lânguidos os estáticos lagos adormecem
Secos de frescura, a onda que
Provoca o pensamento quente.

Tenho sede de mim
E dos pensamentos que não quero ter
Todos os dias quentes de Verão.


Joaquim Marques

2 comentários:

Anónimo disse...

Pena que o sol não ilumine o pensamento dos Homens!...

Pena que este mundo inteligente esteja a tornar-se cada vez menos inteligível!...

Pena que as fontes estejam a secar!...

Vale o teu talento, que continua inabalável!...

Isa

Audrey disse...

Mesmo na sequidão dos desertos existem os oásis..
Mesmo na aridez dos desertos....existem a tecnologia que fazem crescer florestas e surgir pomares...
Mas e o ser humano?
Será que atingiu isso também?
Será que tentou melhorar ao menos os atos?
Será que os interesses são desinteressados?
Precisamos tanto deixar de ser ilhas...e nem podemos....
Mas continuamos agindo como se fôssemos inabaláveis...
No desgaste de não demonstrar fraqueza...nos perdemos dentro nós...
Achar? só por um milagre...talvez tenha ruído tudo...mas milagres existem...
A recuperação é remota...
Mas não impossível....
Somos imagem...mas será que somos mesmos...?
Não acho que o criador queira ter a criatura com uma imagem negativa.....
Enquanto o sol se pôr...
Haverá esperança...
Os lençóis freáticos quem sabe brotem e o nosso espírito se desprenda do egoísmo...