domingo, 2 de maio de 2010

Um dia bonito

Olha que dia bonito!
Está tudo no seu lugar,
Tudo em harmonia.
O sol radioso, mas comedido,
A luz intensa como é próprio.
As plantas verdes, de um verde viçoso,
Os botões querendo ser flores,
A brisa suave para dar movimento.
O céu azul,
Uma nuvem aqui e acolá
Lá ao fundo o mar azulão
Brilhante, brincalhão.
Não se sente vivalma
Nesta tarde calma.

Os telefones não tocam
As rádios estão desligadas
As televisões apagadas
Até o silêncio ficou mudo.
Só me ouço a mim.
Que dia tão bonito!


Joaquim Marques

3 comentários:

Anónimo disse...

APRENDENDO A VIVER
Aprendi que se aprende errando.
Que crescer não significa fazer aniversário.
Que o silêncio é a melhor resposta, quando se ouve uma bobagem.
Que trabalhar significa não só ganhar dinheiro.
Que amigos a gente conquista mostrando o que somos.
Que os verdadeiros amigos sempre ficam com você até o fim.
Que a maldade se esconde atrás de uma bela face.
Que não se espera a felicidade chegar, mas se procura por ela.
Que qdo penso saber de tudo ainda não aprendi nada.
Que a Natureza é a coisa mais bela na Vida.
Que amar significa se dar por inteiro.
Que um só dia pode ser mais importante que muitos anos.
Que se pode conversar com estrelas.
Que se pode confessar com a Lua.
Que ouvir uma palavra de carinho faz bem à saúde.
Que dar um carinho também faz.
Que sonhar é preciso.
Que se deve ser criança a vida toda.
Que nosso ser é livre.
Que Deus não proíbe nada em nome do amor.
Que o julgamento alheio não é importante.
Que o que realmente importa é a Paz interior.

luzinha disse...

Alucina-me a cor! – A rosa é como a Lira,
a Lira pelo tempo há muito engrinaldada,
e é já velha a união, a núpcia sagrada,
entre a cor que nos prende e a nota que suspira.
_________________
Se a terra, às vezes, brota a flor, que não inspira,
a teatral camélia, a branca enfastiada,
muitas vezes, no ar, perpassa a nota alada
como a perdida cor dalguma flor que expira...
___________________
Há plantas ideais de um cântico divino,
irmãs do oboé, gémeas do violino,
há gemidos no azul, gritos no carmesim...
________________________
A magnólia é uma harpa etérea e perfumada,
e o cacto, a larga flor, vermelha, ensanguentada,
– tem notas marciais, soa como um clarim.
___________________________________
Gomes Leal
"Claridades do Sul"

Anónimo disse...

Lá fora
O sol radioso
A luz intensa
As plantas verdes
Os botões floridos
A brisa suave
O céu azul
O mar azulão...
Tudo em harmonia!...

Mas dentro de mim
O silêncio
O vazio
A dúvida
A angústia
A saudade
A solidão!...

Isa