sábado, 14 de abril de 2007

Tenho medo
De não poder chorar
O meu funeral que se aproxima.

Tenho medo
Porque o vejo a cada esquina
E me apoquenta aquela ideia
Aquele sentir de dor:
A felicidade de ficar
Aqui, ali
E em qualquer lugar,
Morto e vivo
Sem medo de chorar
A dor que sinto
Na ideia que me persegue.

Joaquim Marques

4 comentários:

Anónimo disse...

Meu querido amigo,
parafraseando Paulo Neruda -
Morre lentamente quem não viaja; quem não lê; quem não ouve música; quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamene quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, quem não se arrisca a vestir uma nova cor, ou não conversa com quem conhece.
Morre lentamente quem evita uma paixão; quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os "iis"
em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos sem bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás dum sonho, quem não permite, pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou chuva incessante.
Morre lentamente quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.
:)

Anónimo disse...

Não tenho medo de chorar!...

Choro o mal que me querem...
Choro o mal que me fazem...
Choro a dor que sinto...
Choro a ideia que me apoquenta...

O meu funeral estará longe!...
Nele não vale a pena pensar...
Não vale a pena chorar...

Isa

AUDREY disse...

A morte...
Eu não tenho medo da morte...
Por que a morte é um assunto que todos evitam ?...
Quando se sabe pra onde vai...não se tem medo da morte..
E pra que viver ?...vida q não tem fim..
Trabalho , estudo, um montão de coisas repetidas para que o dia termine e continue...
Se trabalha para comer...e no outro denovo..e no outro dia denovo....não tem graça...
Não vejo muito sentido na vida...
Talvez a morte além dela esteja melhor que a vida....
Viver é que deve-se ter medo...
Viver não é pra todo mundo...

Te adoro meu gatinho...

luzinha disse...

que dramático vc é por vezes....
que nefasto que isto é para uma mente tão brilhante...
poemas destes não, p.f.