segunda-feira, 9 de abril de 2007

Prostituta

Passeando a vida
Negra recortada
Canto a chorar
As pedras da calçada.

Oh! Mulher vítima
Foge da minha alçada
Corre-te a vida íntima
Pelas pedras da calçada.

Passeando, parei, correndo
Os calos da vida acabada
Da tua vida Mulher vivendo
Sobre as pedras da calçada.

Canto, fujo e quero
Ver-te na vida começada
A tua vida diferente
Sobre as pedras da calçada.

Canto a Mulher vida,
Negra recortada
Nesta dor sentida

Sobre as pedras da calçada.


Joaquim Marques

2 comentários:

Luzinha disse...

"A cada dia que vivo, mais me convenço de que
o desperdício da vida está no amor que não damos,
nas forças que não usamos,
na prudência egoísta que nada arrisca
e que, esquivando-nos do sofrimento,
perdemos também a felicidade.
A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional."

Audrey disse...

Prostituta sou ....quando sou leviana com meus amigos...
Prostituta sou ...quando os segredos que me confiam não são mais segredos....
Prostituta sou ....quando deixo as pessoas me iludirem ....
Prostituta sou... quando insisto em insistir que alguém me ame...
Prostituta sou ....quando digo prá mim que só mais uma vez vou dar uma chance pela milésima vez...

Beijos gato...