sábado, 1 de maio de 2010

I

Pedaços da minha vida:
Momentos
Intervalados de ausências
Que são os pensamentos
Desprovidos de sequência.

II


Há alturas em que nada me preocupa
A não ser esta vontade
De ter uma ideia diferente
Sobre a preocupação do meu pensar.
Sinto então
Um vazio enorme
Dentro do meu ser pequenino
Que tanto sofre com os tormentos do pensar
E nestas alturas
Estranha
Ser o adulto calmo e resolvido
Sem necessidade de se guerrear
Contra as ideias da vida.

III


Não gosto de dar respostas
Às perguntas inoportunas e fúteis
Quando penso sobre mim
E desejo a minha paz egoísta
E legítima
Que me faz sentir eu.

IV


E sobre a forma
Em como exprimo o meu sentir;
E sobre esta maneira minha
De escrever o que penso;
E sobre tudo,
Sobre tudo agora,
Que devo eu corrigir para me agradar?
E sobre os outros,
Devo pensar neles
Nestas minhas interrogações?
E sobre esta minha ânsia
De assim continuar
Igual à interrogação que me julgo;
E sobre a forma de finalizar
A escrita destas ideias
Que por o serem
Não têm fim….




Joaquim Marques

2 comentários:

Anónimo disse...

Os pensamentos do teu pensar...
O pensar dos teus pensamentos...
Quanta sensibilidade!...

As palavras da tua vontade...
A vontade nas tuas palavras...
Quanto talento!...

Corrigir?
Agradar?
Tormentos?
Sofrimento?
Preocupações?
Quantas interrogações!...

As respostas surgirão...

Isa

AUDREY disse...

Essa angústia que nos acompanha de sempre querer agradar alguém..
De sempre pensar em outrem...
Pecamos em nós....
Desarmamos nossa couraça e ficamos frágeis a fim de sermos atingidos...
E quando isso acontece...percebemos que o que devíamos ter feito de tão bem feito antes e porém...deveria ter sido por nós...
Te adoro...