domingo, 15 de abril de 2007

Desilude-me o riso usado
Das situações forçadas
Que levam ao nada irreversível
Das emoções diferentes.
Não creio nas pessoas
Que pretendem o sentir
Diferente
Que se fixa na amargura do pensar.
Pensar é simples
E inocente
Por isso é que nunca é amargo

Quando acontece ao acaso.


Joaquim Marques

2 comentários:

Anónimo disse...

Pensar é simples
Quando não se pensa amargo...
Pensar é inocente
Quando não impregnado de maldade...

Sentir é autêntico
Quando é sentimento de verdade...

O riso é genuíno
Quando não forçado...
Ou mal intencionado...

Assim... nada me desilude!

Não me desilude o riso...
Não me desilude o pensar...
Não me desilude o sentir...

Isa

AUDREY disse...

Risos fora de hora...
Situações inesperadas...
Situações que apagam os mais gostosos risos...
Amargura inexplicável...que toma conta do riso...e o transforma em cachoeira de lágrimas...
Mas como se explicar o inexplicável?....e como se livrar?
Somente mais risos possam deletar...não risos por acaso..mas risos conscientes...risos rasgados depois da tempestade...
Risos da esperança que a amargura passe...ou melhor a angústia...ou melhor a solidão....
Risos que contagiam outros tantos presentes que não sabem porque riem,mas riem porque estão contaminados pela pessoa mais triste do riso...
É um riso de socorro...e quem conseguir captar...poderá quem sabe mudar esse riso não por rir....mas para o riso da alma...
Riso da felicidade....
Um dia quem sabe...
Volte a sorrir...como ria antes...
Não pela situação apresentada...mas pela felicidade estampada de quem conseguiu no olhar ver além do alcance ....o socorro do riso triste ...
E que esse riso de felicidade....seja eterno até que dure...

Adoro você meu gatinho...beijos