quarta-feira, 25 de abril de 2007

As impressões desta manhã
São vazias
Como as ruas da cidade
Como o eco das salvas dos canhões
Daquele regimento que comemora a República.

Vazias porque à deriva
Aquele cachorro dobrou a esquina
À procura do alimento
Deste seu entender:
O osso feito ilusão que o carro do lixo transporta
Aos ombros da calçada.

Vazias porque o gesto
Daquele polícia sinaleiro
Não orienta o trânsito
mas a necessidade da recompensa mensal.

Vazias porque me não entendo
Aqui sentado e estrangeiro
Sobre esta cadeira
Naquela esplanada
Da outra cidade que comemora a República.


Joaquim Marques

2 comentários:

Anónimo disse...

Mais uma expressão de talento... de sabedoria... de sensibilidade... de grande discernimento!...
Gostei das impressões desta manhã... das impressões do Dia que hoje se comemora!...
Parabéns, querido Poeta!

Isa

AUDREY disse...

O vazio nunca é vazio...
Porque sempre tem um significado...
Ele tem alguma coisa...mas não o que queremos...
Por isso está vazio...mas não vazio...
Procure...e encontrará algo lá...

Beijos meu gato...