domingo, 4 de março de 2007

Sonhei e senti
Sonhei o que em ti vivi
Sonhei a ternura
Do teu gesto singelo
Da força do teu tacto
Do encanto do teu abraço
Das palavras a compasso
Que acalmaram a minha angústia.

Sonhei-te com outra pronúncia.

E consegui.
E encontrei-me em ti.
E acordei do sonho que vivi
E não quero mais sair de ti
Do teu mundo encantado
Do meu sonho acordado.

Agora sonho pelos outros
Por quem de ti precisa e não te encontra
Por tantos ou tão poucos
E não interessa onde estão
Nem tão pouco a sua razão.

Sonho que no mundo haja compreensão.

Eu sou um ser humano com sorte
Por ter achado em ti o meu norte.


Joaquim Marques Cruz
04 de Março de 2007

5 comentários:

Lídia disse...

No emaranhado da vida
tive a benção de um dia tropeçar em ti!
Poeta de ti mesmo!
Eu... simples taralhoca!
Eterna criança do zodiadiaco!
Sim! sempre pronta para do zero
aprender...
aprender ternura e serenidade!
Beijoca,
Li

Anónimo disse...

Você é singular meu gato!
Este poema é lindo...!
Sonhar com alguém e ser preocupar com os seus sonhos que não podem alcançar é a mais pura forma de companherismo, e a melhor prova de amor.
Como alguém pode ser tão sensível...?
Só você mesmo...
Parabéns...te adoro viu!
Audrey

Anónimo disse...

Li
Reli
E
Sempre... sempre... Lindo!
:)

cla disse...

sem querer, é bom conhecer, neste universo virtual, alguém cuja sensibilidade, nos faz sentir menos diferentes, a tua poesia e coragem é um fio de Ariadne para mim,
cla

cla disse...

neste mundo virtual , existem afinal pessoas ás vezes tão desconhecidas e contudo tão parecidas com a nossa alma,
ler-te têm sido para mim o meu fio de Ariadne
obrigada