segunda-feira, 12 de março de 2007

Ruim é o pensamento
As palavras
Os sons do silêncio
Numa pauta de actos.
São todos e nenhuns
Como a tinta que imprimo
Como todos os versos
Que afino.
E eu sou diferente
De mim
E sou ruim
E sou igual ao pensamento
E às palavras
Que grito bem alto no
Silêncio dos sons.
E eu sou igual a eles, mas
Como eu sou diferente
De mim
Todos eles são diferentes
De mim e deles
E eu adoro-os assim.



Joaquim Marques

3 comentários:

Anónimo disse...

Brilhante é o pensamento
E as palavras
E o som do silêncio...
E TU és brilhante
igual ao pensamento...
E brilhantes são as palavras
Que gritas bem alto
no silêncio dos sons...
TU és brilhante
por seres igual a ti próprio...
E eu adoro-te assim!...
Isa

Anónimo disse...

O amor - essa paixão romanesca e fagueira -
Que os Vates têm cantado em bemol
comovido,
é na forma, uma vez assaz brusca e grosseira,
como o assalto da fera e o ataque do
bandido.
Tal e qual o lobo assalta uma cordeira,
a empolga e lhe crava o colmilho atrevido,
assim ataca o amor. _ São da mesma
maneira
O Espasmo, a Fúria, o Uivo, o Estertor, o Rugido.
Nas contorsões do Cio e os seus enlaçamentos,
há o ardor da serpente, a enroscar--se nas preias,
e a estrangular o touro enorme e mugidor.
E, quer cheire ao sertão, ou da Lais aos unguentos,
nos rosais, num covil, ou de Nero nas ceias,
São sempre os mesmos ais, o Pranto, o Espasmo, a Dor.
Gomes Leal

Audrey disse...

O silêncio nos transporta à tantos lugares...
Nos faz ver que muitas vezes não moramos mais em nós...
E nessa busca pelo eu..e nessa corrida infinita pelo ego...descobrimos q somos outra pessoa..
Tens razão meu gato...
Agora cabe classificar que tipo...rs
Te adoro...
bjs
Audrey