terça-feira, 20 de março de 2007


Neste Agosto
Adormeço sem gosto
E acordo deitado
No meu leito desmanchado
Pela presença austera destes momentos de espera.

É como uma repetição
Uma forma regular
De ao meu destino voltar
Voltar a ser quem eu sou e era
E que na minha memória rebusco
Todos os dias ao lusco-fusco
Nos dias sucessivos de que é composto
Este novo mês de Agosto.

E se para o ano for diferente
É porque encarrilhei
E ainda bem que me deitei
Em cima desta espera
Para acordar um dia mais tarde
Ciente de quem sou e era
E assim ter valido a pena
Mais este Agosto
De sonos a contragosto.



Joaquim Marques

2 comentários:

Anónimo disse...

Meninooooooooooo
Tua cabeça rodopia na loucura
Pois nunca foi entendida,
Teu coração bate magoado
Com a dor de não ser Correspondido...
Escreves na escuridão
Para te distanciares da solidão
Mas tudo te leva para a tristeza e dor
que tu sentes no teu coração
Vives no desejo de querer viver
Sem o sentimento maldito da solidão
Vês que o impossível é necessário
Neste mundo de ilusão
Não sabes o que dizer
Vês tudo confuso, perdido na tua Vida
Mas a única certeza que tens
é a dor que as palavras te causam...

"Não é fácil iludir a dor quando ela trespassa a carne e o sangue do coração escorre através dos olhos em forma de lágrimas..."

Caçulinha de azul vestido, por aqui estou!

:)

AUDREY disse...

Ah como queria voltar algumas coisas em minha vida...!
Ah como nem gostaria de lembrá-las...!
Mas seu eu voltasse a ser quem eu era..resgataria a minha inocência e a coragem....
E se eu deixar de ser o que sou...
Perderia a auto-confiança e o orgulho de ser o que sou,a certeza que o que faço, faço porque quero,porque sou,porque tenho certeza que quando acabar de fazer nunca vou me arrepender e se me arrepender eu tentei...
Ser o que sou me dá mais prazer do que voltar ao que fui..
Bjs