segunda-feira, 12 de março de 2007

Na fúria
Da tua agressividade
Encontro a esperança
Ruidosa – do ruído
Turvo da morte.
E na fúria dessa tua fúria
Concebo a fome dos Homens
Na ânsia
Do entendimento final
Ora a Deus
E agradece a fúria
Do teu pensamento infantil.



Joaquim Marques

1 comentário:

Audrey disse...

Ai quem me dera alcançar a morte...
Mas que morte demorada...
Seria infantil pensar na morte?ou seria a morte para os infantis?
Morte...morte...descanso...dormir..
Talvez esse seja o sentido da vida...morrer...
Porque ela só escolhe quem não quer morrer?
Medo da morte?isso é piada...mas ela não vem então fico na estrada...levando a vida...até meu dia chegar..
Bjs....